Sem banquinho, sem violão… isso aqui é a realidade das ruas!

Quando saíram as indicações do Oscar deste ano, um dos comentários feitos é que “Straight outta compton” deveria ter recebido mais indicações. Somente recebeu a de melhor roteiro original, mas muitos clamaram por sua indicação a melhor filme.

O filme dirigido por F. Gary Gray é realmente muito bom. Conta a história da criação do grupo N. W. A. (Niggaz With Attitudes), formado por Dr. Dre, Eazy-E, Ice Cube, Mc Ren e DJ Yella. Provenientes da cidade de Compton, próxima a Los Angeles, na Califórnia, como muitos rapazes negros da região, conviviam com a violência urbana e com a alta repressão policial. Isso é retratado de forma muito intensa no filme, chegando a se tornar o foco principal da primeira metade da história.

Trata-se de um filme que demonstra a ascensão do grupo e sua posterior divisão, com alguns dos artistas partindo para carreiras solo. Eu, particularmente, tenho na figura de Ice Cube uma das mais importantes. É possível perceber na história como ele é diferenciado. Porém, em minha vida particular, tenho o filme “Boyz ‘N the hood – os donos da rua”, dirigido por John Singleton e estrelado por Cube em 1991, como uma daquelas obras que sacramentou a minha aproximação com o cinema. Este filme é mencionado em “Straight…” algumas vezes, e até mesmo cenas aparecem no final, durante os créditos.

“Straight outta Compton” é o nome do primeiro disco do grupo. É ele que dá o pontapé inicial na carreira meteórica destes rappers de tanta importância. As cenas dos shows são muito bem trabalhadas, especialmente em sua montagem. Por sinal, a edição do filme é primoroza. Há um ritmo constante, tanto nestes shows mencionados, como nas frequentes cenas de brigas e de festas promovidas pelos artistas.

O filme foi produzido por Ice Cube e por Tomica Woods-Wright (ex-parceira do falecido Easy-E), o que demonstra o interesse em reconstruir a história do grupo, mas levanta possíveis dúvidas sobre a fabulação a respeito dos personagens. Será que Ice Cube era tão ético e ao mesmo tempo tão firme em suas atitudes? Será que o empresário era tão filho da puta como foi desenhado? Será que Dr. Dre é tão bonzinho e bacana como retratado? Tenho minhas reservas quando uma obra é feita nestas condições.

Mas trata-se de um grande filme, que funciona em sua narrativa, especialmente para admirarmos a ousadia e talento musical dos personagens. Trata-se de um filme longo, com quase duas horas e meia de duração, mas que diverte, emociona e empolga.straight-outta-compton-square

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: