Gana de viver

25/08/2009

Ontem assisti a uma excelente entrevista no Programa do Jô, da Rede Globo de Televisão.

Eduardo Marafanti esteve lá para contar sua luta contra a leucemia mieloide crônica.

A maior importância da entrevista está na função público-informativa. Porém, cabe uma reflexão a respeito da emoção do Jô Soares. Não se trata apenas de uma emoção pela bela história contada, mas também pelo fato do apresentador perceber que a entrevista que havia feito com este mesmo homem há dez anos surtiu um efeito tão benéfico a pacientes de todo o Brasil. Não há recompensa maior para a realização do seu próprio trabalho.

Assista abaixo, em três partes, à entrevista.

Parte 01

Parte 02

Parte 03

Que esta entrevista sirva de ânimo e esperança para todos aqueles que sofrem desta doença. Com a minha torcida…

Para aqueles que se interessarem, entrem no site da ABRALE - Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia: http://www.abrale.org.br/


Soletre agora M-I-N-A-S G-E-R-A-I-S

31/05/2008

Temos uma mania constante em criticar os programas da televisão. Sem dúvida, a grande maioria é porcaria, alienante ou apelativo. Porém, quando surge algo bom, estimulante e educativo, temos que elogiar.

 

Não gosto de todos os quadros do “Caldeirão do Huck”. Porém, temos que tirar o chapéu para o SOLETRANDO. A vitória do menino Éder foi emocionante. Fiquei impressionado desde as eliminatórias (se não me engano, ele participou da segunda eliminatória, há mais de dez semanas) com a velocidade que ele soletrava, sem perguntar nada e sem titubear. Não errou nenhuma letrinha (apesar de que hoje pareceu que tinha errado – ele mesmo se lamentou – mas acredito que o programa não percebeu, pois ele se confundiu ao dizer a letra D, falando a T, que tem quase a mesma pronúncia).

 

O alcance da televisão brasileira é imenso, e sua influência é até difícil de mensurar. Isso pode acontecer para o bem ou para o mal. Mas alguém tem dúvida se este quadro não estimulou a criançada a estudar? Alguém acha que o interesse pela língua portuguesa não aumentou?

 

Além disso, veja a oportunidade que este garoto recebe. E, melhor ainda, com MÉRITO DELE. Ele não ganhou um sorteio, nem mesmo dependeu da simpatia do público. Estudou em casa, com toda a dificuldade inerente aos habitantes do Vale do Jequitinhonha. Mostrou que tem um talento especial. Venceu a concorrente do Paraná, que também era muito boa (além de enorme!!!), e a do Rio de Janeiro, que cometeu uma falha durante a soletração, percebida por ela antes mesmo de completar a palavra.

 

Quem olha para este garoto mineiro, vê que é muito simples e extremamente tímido. Mal conseguia falar ao microfone. A mãe só sabia chorar. Imagine: eles têm uma renda mensal de R$200,00 por mês (contando o Bolsa Família, de mais de R$100,00), e agora terão um cheque de R$100.000,00 para investir no menino. Vamos torcer para que utilizem este dinheiro com sensatez, sem desperdiçar. Quando Éder conseguiu falar alguma coisa, disse para o apresentador que pretende cursar a faculdade de Economia. Vamos torcer para ele. Num país em que tão poucas pessoas têm oportunidade, temos que torcer por estes que conseguem. Imagine quantas pessoas com potencial deixam de ter oportunidades para que surja “um Éder” entre eles.

 

Destaque final para o Rap do Soletrando que Gabriel, o pensador escreveu e cantou.

 

Espero que este quadro continue no ano que vem, e que realmente tenha o tal do “Calculando”, no segundo semestre, para os alunos que gostam de matemática.


Timemania?

23/02/2008

Muito inteligente a idéia de colocarem o Pelé vestido com uma blusa azul escura de listras amarelas no anúncio do Timemania. Parece a camisa do Boca Júniors. Enfim, nosso governo demonstra novamente perspicácia, até quando procura estimular o público a ajudar os clubes brasileiros. Ainda bem que não há rivalidade entre Brasil e Argentina no futebol.

Nossa rivalidade, mesmo, é com a Guiana Francesa.

Mais nada a declarar.


Samba da Globalização

11/02/2008

Eu, cansado de Hans Donner e seu estilo “ultra-moderno” que hoje não é mais tanto assim, adorei o novo video institucional da Globo, que eles batizaram de Samba da Globalização.

Escrito e cantado por Arlindo Cruz, traz uma letra que contempla grande parte dos programas da Rede Globo, num ritmo gostoso e atraente. A mise-èn-scene é simples, mas funciona: vários televisores empilhados transmitindo imagens dos cantores e a vinheta de cada programa mencionado na música.

Acho que é difícil compilar todas as informações da maneira que Arlindo Cruz conseguiu. Dar um sentido para essa junção de nomes que, ao mesmo tempo que significam cada programa da Globo, têm que fazer sentido na composição.

Abaixo, a letra e o vídeo para que possam ver. Ainda bem que a Globo resolveu mudar um pouquinho aquela mesmice que já não fazia efeito.

SAMBA DA GLOBALIZAÇÃO
Arlindo Cruz

Uma Grande Família assim
Vira Zorra Total
quando rola um auê

Sai até no Jornal Nacional
Vale a Pena de Novo
se ver na TV

É Casseta de outro Planeta
Dá pra ver Estrelas
Toma Lá,Dá Cá

É Fantástico ter o Faustão
O Jô e o Didi
juntos num Caldeirão

Com alegria até Altas Horas
Eu pude notar
Me liguei que o Globo Esporte
é Espetacular

Tomei Cìência da Ecologia
Da Periferia
Da terra e da gente
O filme depois da Novela
Deixa a Tela Quente

Mas quem te viu
quem te vê Globinho
Como você cresceu!
Assistir outro dia no Vídeo
o show que você deu
Globo Repórter é BBBeleza
E pra ser Mais Você
é muita Malhação

Mais uma vez
É o time da Globo
que é campeão
É na palma da mão

Não é mole não meu irmão
Não é mole não
A vida imitando a arte
Isso é globalização

Não é mole não meu irmão
Não é mole não
A vida imitando a arte
Isso é globalização plim plim.


Peitões… Bundas… Barriguinhas saradas…

09/01/2008

- começou o Big Brother Brasil!!!

- e lá vai mais um desfile de beldades, na ânsia de serem famosos, em busca de um rápido lugar ao Sol…

- pode render milhões… seja na casa, seja na revista, seja nos programas (de qualquer gênero – televisivo ou particular), seja como protagonista da novela…

- ah, como é bom pensar que tudo é legal, que a vida é uma festa… que gostaria de estar naquela piscina, jogando água para o alto, mostrando como sou legal…

- hey, Brasil, olha para mim!

- quero pular em frente ao telão, mostrar como amo todos, mesmo aqueles que não reconheço na multidão forjada para alentar meu paredão…

- ah, mas agora dá para ver que não posso ser famoso, pois para ser ‘pretendente-a-famoso’ no BBB, tenho que ter algo no currículo… tenho que ter saído na VIP, ou sido cantora na França, ser modelo, miss… o espaço dos anônimos é restrito…

- mas tenho que lembrar: o que importa é manter tudo à vista, pois a audiência deve subir… e, ah, como sobe… uma delícia…

- e depois? e depois? Será que é rentável ganhar? Vejo que alguns que não ganharam receberam muito mais… vou pensar, vou pensar… quem sabe minha verdadeira estratégia? nem eu… perder como o mártir da injustiça naquele micro-universo talvez seja o passaporte para render bastante do lado de fora…

- assistir, assistir… será que dá para resistir? criticar é fácil, mas a curiosidade, por mais que seja dolorosa, tem que ser alimentada… e seu combustível é a famosa “espiadinha” diária…

- vergonha, fama, bundões… sei lá… amor, ódio…. o que dizer?

- confuso, né… não se preocupe… quando visto de perto, todo mundo é…


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.